Retrospectiva – As ameaças contra o Banco do Brasil público

Desestruturação

Em janeiro de 2021 o BB anunciou um processo de desestruturação que consistia na diminuição do quadro de funcionários, redução de salários, fechamento de agências e precarização do atendimento. Essa precarização e diminuição do papel do banco público é, na prática, o pontapé inicial para a privatização da empresa.

Uma importante vitória!

Em fevereiro, a CONTRAF-CUT obteve na justiça uma liminar que impede o banco de extinguir a função de caixa executivo e garante o pagamento da gratificação de caixa para todos os empregados que a recebiam no momento da mudança feita pela empresa. A liminar ainda está em vigor e representa uma expressiva vitória dos trabalhadores do BB!

Sindicato buscando apoio do legislativo

No intuito de denunciar esse desmonte para a sociedade, o sindicato dos bancários de Criciúma visitou todas as câmaras municipais da nossa base territorial, dialogando com os vereadores e fazendo um apelo pela aprovação de uma moção de repúdio ao processo de desestruturação do banco. A moção foi aprovada nos municípios de Forquilhinha, Nova Veneza, Içara e Siderópolis.