Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

NOTÍCIAS

Bancários mobilizados em defesa dos bancos públicos

25/09/17

Bancários mobilizados em defesa dos bancos públicos

O Dia Nacional de Luta em defesa dos bancos públicos: Banco do Brasil, Banrisul e Caixa mobiliza os bancários em todo o Brasil. Os protestos acontecem todas as quartas-feiras desde  o dia 20 de setembro e seguem até o mês de dezembro. Em Criciúma e Região, os trabalhadores dos três bancos estatais fazem a mobilização vestindo camisetas com frases contra a privatização e postando nas redes sociais nesta quarta-feira, 27.  “O recente anúncio do fechamento de agências da Caixa, por exemplo, alertaram a categoria à necessidade de ações para evitar o processo de desmonte dos bancos públicos que o governo Temer tenta implantar”, disse o o presidente da Federação Nacional dos Empregados da Caixa (Fenae), Jair Pedro Ferreira. Já o presidente do Sindicato dos Bancários de Criciúma e Região, Edegar Generoso, falou da importância de debater com a população o papel da Caixa na execução de políticas de desenvolvimento das cidades brasileiras; bem como a importância dos demais patrimônios como o Banrisul, principalmente para os gaúchos e o Banco do Brasil.  A venda só faz empobrecer ainda mais o Brasil e o povo brasileiro,” criticou o sindicalista.

PORQUE DEFENDER OS BANCOS PÚBLICOS?

*Sem bancos públicos o financiamento da casa própria seria mais caro - A Caixa é responsável por 70% do crédito para a habitação e pela administração de recursos do trabalhador é a instituição que mais contribui para a amenizar o problema do déficit habitacional, por meio de um volume extraordinário de financiamentos do Programa Minha Casa Minha Vida (lançado em 2009). Além de ser a operadora do Programa, a Caixa também concede empréstimos para os compradores dos imóveis.

*Sem bancos públicos a comida seria muito mais cara - Para iniciar a plantação, o agricultor precisa de dinheiro para comprar sementes. Ele precisa tomar dinheiro emprestado.  O governo fez um programa para que o agricultor pudesse tomar crédito bancário com taxas de juros mais baixas. Esse programa se chama Pronaf - Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar. Os bancos privados quase não ofertam esse tipo de crédito.



*Sem bancos os públicos menos estudantes estariam nas universidades   O Governo Federal instituiu o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) para aumentar o acesso ao ensino superior. O programa é de 1999 e foi revitalizado a partir de 2010. É um programa destinado a financiar a graduação no ensino superior de estudantes matriculados em faculdades e universidades particulares. Os beneficiários do Programa só começam a pagar o que devem um ano e meio após a formatura. Os agentes financeiros do Programa são a Caixa e o Banco do Brasil (BB). Os bancos privados não têm interesse em ofertar crédito estudantil porque outros negócios são considerados mais rentáveis.
*Sem bancos públicos as regiões seriam mais desiguais -  Em grande parte, o desenvolvimento regional depende de investimentos realizados pelos governos, mas depende também de crédito para o setor privado nas regiões menos desenvolvidas. O BB, a Caixa e bancos estaduais contribuem com o avanço regional, quando pulverizam suas agências nas áreas menos desenvolvidas de cada estado.


Fonte: Fenae e  Sindicato dos Bancários de São Paulo